domingo, 11 de novembro de 2012

Like Popcorn


Sempre quis que a minha vida fosse como um pacotão de pipoca, daquelas doces, de caramelo, beeem crocantes, e que te fazem lamber os dedos no fim!! 
Sabe o por quê da pipoca? Porque não existe nada mais simples, saborosa, fácil e viciante... A vida poderia ser assim... simples, com pessoas simples, com fases simples, com decisões simples, apenas simples!
Poderia ser mais saborosa, sem momentos amargos, intragáveis, com mais momentos que te dão água na boca, que te dão o prazer de viver!
Poderia ser mais fácil de lidar, sem pedras no caminho, sem lágrimas nos olhos, sem feridas para serem curadas! 
E por fim, incrivelmente viciante, sem momentos de desânimo, sem as vontades de abandonar o barco!
Hoje, eis me aqui sentado na frente deste computador, prestes a completar 26 anos de idade, ( siiiim, 26 anos... o DNA me favorece =P kkkk) me deparo com uma triste e frustrante realidade.... Minha vida até aqui não é nem um pouco parecida com a pipoca!
Me frustra a idéia de não ter realizado grande parte dos meus sonhos, de não ter vivido grandes aventuras e ter tido extraordinárias experiências, enquanto uns têm tanto para contar, eu tenho histórias do cotidiano e nada mais!!!
Me dei conta de como tudo até agora foi difícil, de como a estrada foi tortuosa e de quantas pedras tive que tirar do meu caminho...
Aprendi que cada coisa deve permanecer no seu lugar, fazer sua função... aprendi que o coração funciona muito bem no sistema vascular, dar pitaco em outros assuntos não é o seu forte!!! (kkk)
Percebi que pessoas muitas vezes são cruéis, egoístas e fracas... e que a amizade é algo muito sensível!
Me dei conta que quando temos um objetivo temos que abrir mão de muitas coisas que gostamos, o sacrifício faz parte do processo, do progresso e do sucesso!
E agora eu sei que o que eu faço hoje é o que eu vou ser amanhã, e se depender de mim, o amanhã vai ser lindo!!!
Mas escrevendo isso cheguei a uma conclusão... que se fosse tudo tão ¨popcorn¨ eu seria alguém fraco hoje, com medo de viver no mundo real, vulnerável a qualquer pedrada! E as coisas que eu ainda não fiz e aprendi ainda estão em tempo, que nenhum tempo é perdido e que nunca é tarde pra se fazer algo!
Pensando bem, a pipoca não é tão perfeita assim.... se não for comida na hora ela amolece e fica borrachuda, tem aqueles grãos duros que não estouram e ficam no fundo do pacote, tem aquela casca chata de encapa o dente e incomoda o dia inteiro, e o pior de tudo... ela sempre acaba antes do fim do filme...

domingo, 5 de junho de 2011

Mais que amar..

Olá meus queridos! Hoje é um dia mais que especial.. é o Aniversário da Dona Aparecida (pra mim Dona AP), minha amada mãezinha!! E como homenagem farei um texto. Um texto enorme pra uma pessoa de um enorme coração!

É uma pessoa simples, de gestos simples, de palavras simples e que simplesmente ama tudo o que faz! (por isso faz muito bem feito)
Foi ela quem me carregou no colo quando quebrei o fêmur e tive que engessar as duas pernas (trabalho duro pois na época eu já era gordo..rs)
Foi ela quem me ensinou a andar de bicicleta (e com ela eu caí o meu primeiro tombo, dando de encontro com um amontoado de latas cortantes)
Era dela que eu morria de vergonha quando vinha me beijar no meio dos coleguinhas japoneses (hoje em dia eu esfregaria na cara deles o nosso carinho).
Foi com ela que aprendi a cantar "entre tapas e beijos" aos 3 anos de idade (meu passado me condena)
Foi ela que me ensinou a andar de ônibus sozinho aos 8 anos para visitar o meu pai (eu até que tinha medo)
E aos 8 também, ela me ensinou a passar café, lavar a louça, ariar as panelas e os "pitos" do fogão, acender o fogo do fogão à lenha e também a fazer arroz (sim... do temperado, frito, com alho, na panela comum).
Foi ela quem me levou pra morar no mato e me ensinou a ter raízes (como diz o primo Edvin: A melhor infância).
Com ela aprendi a cozinhar na minha adolescência (me ensinou muito bem por sinal).
E junto dela passei maus bocados dentro da cozinha quente de um restaurante! (mas também passei bons bocados)
É ela quem ri alto, fala alto (DNA forte esse),é desbocada (eu racho o bico), gosta de cerveja, vinho, martine (fica um pimentão vermelho quando bebe), ama orquídeas (já perdi a conta do número de espécies que possui), adora animais (eu não to incluso nesse grupo).
É ela quem possui a incrível capacidade de aprender coisas novas e se tornar profissional nisso (até hoje eu não entendi como isso é possível)
Foi dela que aprendi tudo sobre humildade, dignidade, responsabilidade e humanidade sem nunca nem ao menos termos tocado no assunto!
Me ensinou a ter fé (mas não como algo obrigatório)
E Foi a Minha Mãe que me ensinou a ser o Homem que eu sou hoje!
Mas calma ae... ela é perfeita??
Claro que não...
Ela tem o gênio forte (isso explica muita coisa sobre mim), ela é bagunceira (desculpa mãe.. rs), ela cometeu erros (quem não comete?), é ciumenta (muito, muito), enfim, maravilhosamente imperfeita como todo ser humano!

E sabem o por quê desse texto estar cheio de interrupções entre parênteses (***)?
Pelo simples fato de eu estar sempre presente em todos esses momentos, porque ela sempre me permitiu fazer parte de sua vida, e não me deixou ser apenas um espectador de suas atividades como mãe! Me deu deveres e obrigações, mas também me deu opções, escolhas, me deu expressão, voz, opinião! E me deixou ser eu mesmo, vivendo junto de sua vida, fazendo parte da sua história!
Eu não a chamo de "senhora", primeiro porque ela nunca gostou, e segundo porque eu acho muito formal (muitas pessoas vão ficar escandalizadas com isso), mas eu acho essa nossa intimidade deliciosa, o fato de eu poder chamá-la de "você" quebra todas as barreiras hierárquicas nos tornando muito mais do que mãe e filho, nos tornando amigos, sem pudores, sem limites!
Ela sempre foi a pessoa que eu pude conversar sobre tudo, desde amores de adolescente, até sexualidade! E a confiança que ela depositou em mim, eu retribuo com ações e gestos, buscando tornar tudo o que eu faço hoje, algo do que ela possa se orgulhar amanhã!
E minha mãe é assim, uma pessoa maravilhosa, com todas as qualidades e defeitos de uma Mãe perfeita!
Não falo isso porque é minha mãe, falo isso porque é a mais pura verdade. Quem a conhece sabe do que eu to falando!
Parafraseando minha amiga Mik: "Hoje só queria dar um abraço bem forte na minha Mãe" e dizer o que sinto por ela!
Acho que um "eu te amo" não seja o suficiente pra expressar todos os meus sentimentos, e a gratidão por tudo o que fez por mim. Mas me vendo aqui, da minha pequenês diante de sua grandiosidade, só me cabe dizer...

Mãe eu te Amo!!



segunda-feira, 30 de maio de 2011

Descobridor dos sete mares


Andei pensando e descobri que ultimamente venho descobrindo muitas coisas!
Talvez eu já tenha descoberto isso a algum tempo, mas só agora me dei conta de tantas descobertas!

Descobri que eu posso ser o que eu quiser, fazer o que eu quiser, gostar do que eu quiser e ser feliz da forma que eu quiser, só basta eu querer!
Descobri que viver é mais simples do que se pensa, as coisas simples é que compõem a vida, tudo se torna muito mais pazeroso!
Descobri que beijar é bom (não que eu já não soubesse antes rs..), é doce (A Favorita Feelings rs..), é quente, tira o ar... Mas também pode ser amargo, pode ser dolorido, pode deixar saudade... E pode voltar a ser bom de novo, mas com um novo sabor...
Descobri que se apaixonar também é bom, afaga o coração, acaricia o ego, alimenta as esperanças, deixa todos os sentidos muito mais intensos! Mas também machuca, faz doer, faz chorar, faz sangrar... e depois... sara, cicatriza! E te deixa pronto pra outra!!
Descobri que o Amor vai muito mais além do que o amor entre um homem e uma mulher.. Descobri o amor na vida, no prazer de viver, no prazer de aprender... Descobri o Amor de Deus!
Descobri em Deus, um Deus fraco, que me pega no colo, que me da carinho, que me pega pela mão e me mostra o caminho, um Deus que me abraça forte e me faz sentir amado de verdade!
Descobri na minha Família o meu chão! E nos meus amigos, Reais e eternos, a paz...
Descobri que gostar de mim mesmo me faz bem, gostar de quem eu sou, de como eu sou, do que eu faço e pra que eu faço!
Descobri que sou forte, muito mais do que eu imaginava...
Descobri que sou feliz (isso é assunto pra um outro post, aguardem =P)
Enfim, descobri muitas coisas... coisas que me fazem crescer.
E eu espero ainda, descobrir muito mais, como um explorador viajando pelas águas da vida, descobrindo os sete mares!!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Saber Perceber...


Ontem eu vivi uma experiência e gostaria de compartilhá-la com vocês.
Todas as tardes eu vou correr/caminhar, nas ruas mesmo aqui pelas redondezas ou na orla do mar. E ontem estava um dia muito chato, chuvoso, sem nada pra fazer, meio deprê, com aqueeela preguiça o dia todo. Mas no final do dia, depois das 17 hrs o tempo "abriu" e parou de chover, então eu resolvi fazer minha caminhada na beira do mar! Peguei meu iPhone, meus Fones de ouvido e fui...
Chegando lá me alonguei como de costume, coloquei meus fones, e comecei a correr escutando música que dá aquele gás a mais. Depois de uns 10 minutos, meu fone de ouvido que é Bluetooth começou a apitar por falta de bateria, eu tinha esquecido de pôr pra carregar o dito cujo! E eu nem tinha levado os fones comuns... Deu uma raivinha básica!
Mas tudo bem, não tinha muito o que se fazer a não ser continuar a minha corrida sem música!
Já era bem tarde, estava escurecendo, então não tinha muita gente fazendo exercícios por ali, estava um silêncio que só se ouvia os barulhos da natureza!
Então, mesmo correndo, eu afinei os meus sentidos e comecei a prestar mais atenção a tudo o que estava ao meu redor... Minha respiração ofegante, meus passos no asfalto, meu coração acelerado, o suor descendo pelo meu rosto... tudo ali fazia eu me sentir mais vivo!
Já cansado, resolvi parar de correr, mas continuei caminhando, atento. Tudo estava ali funcionando em perfeita sincronia como sempre estivera, as águas do mar batendo nas pedras fazendo um som diferente a cada onda que quebrava, as gaivotas disputando espaço com os morcegos (sim, morcegos, já estava escurecendo), os insetos noturnos começando sua sinfonia, os pescadores posicionados na praia a cerca de uns 10 metros um do outro como se tivessem sido colocados ali por alguém, a folhagem rasteira e forte que consegue nascer por entre as pedras das praias japonesas, os gatos (é estranho mas lá tem muitos gatos) brincando um com o outro, o vento soprando entre as árvores... Tudo sempre estivera ali, mas eu nunca prestei atenção!!
E ainda caminhando, tive uma boa sensação, a sensação de fazer parte de tudo aquilo, a sensação de ser mais uma peça desse grande Playmobil!
As vezes é necessário abrirmos mão das coisas que nos distraem (nem que seja a força) para podermos perceber que existe muito mais ao nosso redor.. detalhes, muitas vezes imperceptíveis, mas que quando percebemos, nos encantam, e nos mostram o quão lindo é o lugar onde vivemos, e que nós fazemos parte de algo muito maior do que o mundinho que costumamos nos fechar!
Gostei dessa experiência, a experiência de saber ouvir, de saber enxergar, de saber perceber...
Acho que vou "esquecer" de carregar a bateria dos meus fones mais vezes daqui pra frente!!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Reais e Eternos


"Mudaram as estações, nada mudou, Mas eu sei que alguma coisa aconteceu, ta tudo assim tão diferente"

E mais uma vez eu estou aqui para falar de amizade.
Pois é, a algum tempo atrás eu estava bisbilhotando a vida alheia nessas redes sociais (fuço Merrmo), e percebi o quanto as coisas mudaram com o tempo...
Velhos amigos, antigos companheiros de festas, antigos colegas de escola, vizinhos...
cada um com uma vida nova, com gostos novos, com famílias novas e estilos novos. Cada qual caminhando o seu próprio caminho. Nada de mais, coisa normal da vida!
Mas é duro parar e pensar que tudo o que nos juntou um dia, mudou. Que todos aqueles gostos, sonhos, vontades que compartilhávamos, já não existem mais!
Parei, pensei, e fiquei triste... muito triste!
Até que um dia bateu aqueeeela saudade e resolvi ligar pra uma dessas pessoas, uma das especiais...
Conversamos muito, rimos, cantamos, choramos, falamos de amores e desamores, vitórias e derrotas, alegrias e tristezas, vilões e heróis, planos, sonhos, ambições... enfim, conversamos como a muito não fazíamos! Mas foi exatamente como antes!
E foi aí que descobri que as pessoas mudam sim, elas se adaptam ás situações da vida, elas aprendem coisas novas e evoluem, mas seus corações continuam os mesmos! E aquela pessoa que eu conheci ainda estava ali, do mesmo jeito, com a mesma risada, com o mesmo carinho, com a mesma amizade, apenas com uma vida diferente! E apesar de diferentes ainda somos iguais, e o que nos uniu outrora permance intacto só esperando o reencontro para emergir novamente, porque o sentimento é real, é eterno!

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Fênix


Ahhhhh... Olha eu aqui de novo!
Bom, é com muita satisfação e alegria que eu volto a publicar meus textos nesse blog. Depois de um período de retiro, auto-conhecimento e busca de inspirações (Ou seja, PREGUIÇA AGUDA E FALTA DE CRIATIVIDADE), eu deixo pra trás a era da escuridão e volto para a Luz!
Agora mais do que nunca eu vou procurar manter a regularidade dos meus posts para que isso aqui não se torne mais uma vez um criadouro do mosquito da dengue. Mais do que nunca porque talvez nunca estive tão inspirado.. Cada pensamento, cada sentimento, cada conversa, cada notícia, cada simples palavra, se torna algo do qual eu possa escrever! Nunca foi tão fácil!!
Dizem que nos momentos difíceis da vida a gente acaba se redescobrindo, se reinventando...
Talvez seja isso mesmo, quando tudo o que você costuma ter já não existe mais, você é obrigado a buscar novas opções, novas possibilidades, e acaba assim, se descobrindo muito mais capaz do que se imaginava!
E é assim que me sinto agora. Mais capaz, mais ousado, mais amado...inspirado!
E ao imitar aos gestos da Fênix que precisa morrer e renascer das cinzas pra aprender que é capaz de voar muito mais além do que antes, eu me reergo, bato as cinzas e vou além... Muito mais além!!

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

...Despedidas...

"Não aprendi a dizer Adeus, não sei se vou me acostumar!!"

Pois é, por mais brega que a frase/música seja, não deixa de ter um grande sentido nesse momento! Nos últimos tempos eu tenho me despedido muito de pessoas queridas, nunca ouvi com tanta frequência a palavra "Adeus", nunca a incerteza do reencontro apertou tanto meu coração!!
Vivendo nesse lugar de vidas instáveis, com tantas partidas e chegadas, acabamos nos habituando com a ida e vinda das pessoas, sabemos que tudo é passageiro (exceto o cobrador e o motorista)rs** . Com a piada à parte, realmente, nada aqui é definitivo, todos um dia irão embora, com exceção dos "habitantes locais"(o cobrador e o motorista da piadinha anterior)!
Mas apesar disso tudo, é difícil despedir-se de alguém querido, e saber que talvez você nunca mais o veja!
Talvez isso seja parte de uma renovação. onde pessoas se vão para dar lugar a outras que chegam! Mas bem que esse processo podia ser menos doloroso !!? As pessoas poderiam permanecer e outras poderiam chegar, afinal de contas, a vida é um grande "coração de mãe"!!
Acho que eu estou me repetindo com esse lance de pessoas que chegam e outras que vão.... Mas infelizmente a realidade tem sido assim!!
E enquanto eu não me acostumo a dizer Adeus, vai um pouco de mim a cada nova despedida, vai um pouco de mim a cada passageiro que desce, vai um pouco de mim a cada adeus que ouço!!!



sábado, 22 de agosto de 2009

"Fé é a firme convicção de que algo seja verdade, sem nenhuma prova de que este algo seja verdade, pela absoluta confiança que depositamos neste algo ou alguém. Ter fé é nutrir um sentimento de afeição, ou até mesmo amor, pelo que acredita,confia e aposta."

Essa é uma bela definição que achei para explicar a Fé. Mas eu vou além!!
Pra mim ter fé ultrapassa os limites do abstrato, é mais do que apenas acreditar. É algo que nos possibilita enxergar mesmo com os olhos fechados, tatear mesmo com as mãos atadas, andar mesmo com os pés feridos!!
Reencontrar a fé é algo marcante pra alguém!
sim...reencontrar...pois afinal... ela sempre esteve ali, sempre existiu...
Mas o que marca não é o reencontro da fé "abstrata" apenas "sentida", e sim da fé falada, tocada, abraçada, cantada... Da fé amiga, irmã, irmão, pai, mãe...da fé enquanto EU!!!...

Já fazem umas duas semanas que comecei a escrever esse post e ainda não consegui concluí-lo...
Talvez seja porque eu não consiga explicar a fé, talvez porque ela não tenha explicação, não tenha definição...
Não se explica e nem define....apenas se sente e vive...
Ainda não sei direito...
Só sei que meu coração esta cada dia mais Feliz com o rumo que tenho seguido!!

Death...

Calmaaaa....Eu nâo virei Gótico, nem emo, nem vou cortar meus pulsos...hahahahahah
Só que eu parei pra pensar na morte esses dias...
Talvez porque eu nunca tinha sentido medo disso antes...
mas isso é irônico... a coisa que mais temos medo é a única certeza que temos, é a única coisa inevitável!!!
Como diz o velho ditado..."para morrer basta estar vivo"...
Pois é... quando nos deparamos com o medo real de morrer é que damos valor a vida...
Eu não tenho medo da morte em , da dor física... eu tenho medo de deixar de sentir o que sinto, de viver o que eu vivo, de ver as pessoas que eu vejo... medo de perder momentos especiais, de fazer sofrer pessoas especiais!!
Não sinto aquele medo "prepotente" de que o mundo me perca... mas talvez o medo "egoísta" de eu perder o mundo...

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Descartáveis

"Os jovens de hoje são verdadeiras máquinas de fazer chifres!!"

Outro dia ouvi tal frase (não exatamente com essas palavras...mas era algo parecido) de uma voz bastante experiente e vivida!!
E isso me incomodou...
Me incomodou não porque ele estava errado ou falando algo descabido, e sim por estar falando a mais pura verdade!!
Me incomodou porque eu também sou jovem e automaticamente me incluo nesse "grupo"...e por mais bem intencionado que eu seja, posso sofrer tais consequências!!
Me incomodou, me entristeceu, me preocupou...

Muitos vão se perguntar: "Mas por quê se preocupar com uma coisa tão normal??"

Bingooo...esse é o ponto!!
A coisa é tão grave que já se tornou "NORMAL"
Já se tornou normal enganar, mentir, desrespeitar, dissimular...
Se tornou comum dizer "eu te amo"...mas só da boca pra fora...
Não consigo entender esse novo jeito de amar onde o respeito e a verdade ficam em 2º, 3º, 4º... último plano!!!
Tem gente que faz da vida uma verdadeira micareta, com um "passatempo" diferente toda noite, com uma distração nova a cada semana... Fazendo das pessoas descartáveis, e tornando-se assim, descartáveis também!!!
Perdendo o respeito por mesmo, desvalorizando o que se tem de melhor...a DIGNIDADE!

Não sou o último dos românticos (aliás nenhum pouco romântico) tampouco Santo...
Lições de moral e hipocrisia á parte...
Se ser descartável é MODERNO e TA NA MODA...
Eu prefiro ser ANTIQUADO e CAFONA...Afinal....nunca liguei pra moda mesmo!!!